Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

terça-feira, 24 de abril de 2018

"Sem Rasto" de K. L. Slater

Antes de vos falar da minha opiniāo sobre esta leitura, tenho de vos falar da capa. Todos concordamos, acho eu, que uma capa nāo é verdadeiramente importante para que um livro seja considerado bom ou mau mas quem nāo comprou já um livro só porque tem uma capa bonita, sedutora, que "atire a primeira pedra"... Isto para vos dizer que me senti atraída pelas cores fortes e contranstantes desta capa. Foi paixāo à primeira vista e uma parte do conteúdo é-nos revelado quer pelo título quer pela imagem da criança que nela vemos. A sinopse fez o resto. Precisava de ler este Sem Rasto!

Até meio da narrativa sentimos que a dominamos. Passo a explicar: o leitor é posto ao corrente de uma história contada em dois tempos, o presente e o passado, ocorrido três anos antes. Parece-nos, ainda a meio da narrativa, que conseguimos unir a história, o antes e o depois. Uma criança de cinco anos é raptada, a sua māe jaz numa cama do hospital três anos depois do seu rapto e tenta desesperadamente sair do encarceramento em que o AVC a deixou, para ajudar a encontrar a sua filha. Parece tudo isto, mas nāo... A meio da leitura, uma chapada! Nada é o que parece e o final nāo é o previsível.

A caracterizaçāo da personagem principal está soberba. Toni é uma māe em sofrimento que tenta desesperadamente dar à sua filha um lar estável depois da morte do marido num acidente no Afegasnistāo, do qual ele nāo está isento de culpa. Fragilizada, Toni começa a ter ausências prolongadas devido aos medicamentos que toma às escondidas. Questiona-se com frequência se está a conseguir ser uma boa māe. Esquecimentos, deslizes, fazem parte do seu dia a dia. Parece que tudo ajuda para o desfecho que o leitor sabe de antemāo: a sua filha é raptada. 

Um livro que se lê a uma velocidade estonteante, com uma trama muito bem articulada e vários suspeitos do rapto surgem na nossa mente aquando do desenrolar da narrativa. Quem raptou a pequena Evie? Onde é que ela se encontra? 

Fiquei curiosa com o livro anterior desta autora, A Salvo Comigo. Alguém o leu?

Terminado a 21 de Abril de 2018

Estrelas: 5*

Sinopse
Para Toni, Evie é a coisa mais importante do mundo.
Quando perdeu o marido na guerra, Toni tomou medidas para começar tudo de novo e dar à filha, Evie, uma vida melhor.
Mudou-se para uma cidade diferente, arranjou um novo emprego e mudou a filha para outra escola.
Mas há coisas más que não param de acontecer.

O recomeço está a ser difícil. Evie não gosta da escola, os vizinhos têm antecedentes criminais e a nova chefe é terrível. Para conseguir lidar com tudo isto, Toni começa a abusar de sedativos.
Quando fecha os olhos, as horas desaparecem e o descanso torna-se possível. É quando algo terrível acontece.
E agora Evie desapareceu.
Ninguém sabe onde Evie está e não há pistas, nem suspeitos. Toda a gente culpa Toni, que rapidamente é vista pela opinião pública como uma mãe irresponsável e toxicodependente.
Mas ela tem a certeza de não ter feito nada de errado. Ou será que fez?

Cris

1 comentário: