Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

"Onde Cantam Os Grilos" de Maria Isaac

Esta é uma história contada por um adulto mas relembrando os seus tempos de menino, criado que foi numa imensa herdade, sem fim à vista. Pelo menos, os seus olhos de menino não queriam muito aproximar-se dos limites dessa herdade que lhe transmitia, assim, segurança e protecção. Nunca soube quem eram os seus pais nem tão pouco como tinha ali vindo parar. Isso não fazia diferença nenhuma. Crescera entre as salas dos patrões e os quartos dos criados e o relato dos acontecimentos é feito com a inocência de quem é criança e de quem deseja muito pertencer ao mundo dos adultos. Os seus segredos, as suas conversas e esse mundo dos crescidos constituiam uma tal tentação que o levavam a escutar frequentemente atrás das portas e em esconderijos secretos...
      Bem cedo o leitor apercebe-se que algo terrível aconteceu e que a tranquilidade vivida na herdade tem os dias contados. Mas o relato continua devagar, os pormenores revelados lentamente. A meio do livro as páginas voam com os segredos que julgamos descortinar... porque aos olhos de uma criança as verdades são dificeis de entender e é sempre nessa perspectiva que a história nos é contada. E, por vezes, aquilo que uma criança revela tem consequências que ela própria não sabe nem consegue prever.
      Entre o revelar acontecimentos e o mantê-los em segredo, a autora soube criar no leitor um interesse crecendo para que, no final, tudo fizesse sentido e tudo fosse explicado. Gostei da escrita contida mas clara, das palavras utilizadas, próprias e adequadas a um menino de 10 anos, que quer desesperadamente, sentir-se em família e que busca a compreensão e o amor. 

Recomendo!

Terminado a 3 de Dezembro de 2017

Estrelas: 5*

Sinopse
Formiga foi deixado nos degraus da casa da Quinta do Lago, ainda bebé, e desde então que nunca de lá saiu. O mistério da sua chegada são apenas mais algumas linhas acrescentadas à longa história da Quinta e que a assombra de lendas e maldições. São muitos os infortúnios das várias gerações dos Vaz, uma fonte inesgotável de mistérios fascinantes para a imaginação do rapazinho deslumbrado pela vida da família que venera com uma curiosidade atrapalhada. Formiga corre e trepa a árvores, empoleira-se em ramos, faz-se invisível, inventa um pouco de tudo para conseguir acompanhar conversas, ouvir mais uma palavra.

      Mas o último segredo que ele descobre revela-se demasiado grande para a curiosidade bem-intencionada de uma criança, e um erro põem fim à sua infância. Uma história doce e desengonçada, contada na voz de um adulto que fala pela criança que foi um dia.

Cris

Sem comentários:

Enviar um comentário