Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

domingo, 13 de março de 2016

Ao Domingo com... Thomas Bogg

Saudações a todos os leitores. Sou o Thomas Bogg, tenho 24 anos, e este mês publiquei o meu primeiro livro. Chama-se O Título e tem edição da Chiado Editora.
Comecei a escrever com regularidade aos 17 anos. Foi por esta altura que algumas coisas se pronunciaram em mim e que hoje continuam em voz ativa. Coisas que, penso eu, me definem agora. Em conjunto com a paixão desenvolvida pela escrita, tomei conhecimento da área da filosofia no ensino secundário que frequentava neste tempo, e com renovada seriedade comecei a pensar o que queria fazer com a minha vida adiante a maturidade incoada. Apercebi-me ambicioso: queria publicar livros, investir-me no campo introspetivo e inquisidor da filosofia e queria, sem hiperbolizações, provocar um efeito sobre o mundo que ressonasse com uma certa inelutabilidade.
É verdade que, aos 17-18 anos, a ambição e o sentido de possibilidade falam mais alto do que qualquer voz mitigante ou disciplinada por conceções que mais tarde serão chamadas
“realistas”. Embora o meu projeto – que, realmente, ainda não se encontra definido na sua essência – tenha sofrido abalos e sido sujeito a reconfigurações nos últimos anos, e que eu tenho vindo a conhecer muito mais acerca dos meus condicionantes psicológicos desde que comecei a focar os meus interesses e a circunscrever a viagem do meu sonho, permaneço ainda assim fortemente nesta ambição, querendo, através do pensamento, da escrita e do diálogo, repensar as coisas do mundo e o mundo em si próprio.
O Título é o primeiro episódio público desta aventura que espero, pelo menos, perdurar a minha vida e poder partilhar e desenvolver com pessoas que ou se identificam com os meus interesses, ou tenham coisas a dizer sobre as coisas que eu digo. Não sei exatamente para onde isto irá mas pretendo encontrar amigos dentro e fora da literatura e da filosofia ao longo do percurso. Para mim, a conversa que um escritor pode ir tendo com outros escritores é tão fundamental como aquela conversa que, individualmente, qualquer autor é capaz de centrar com o mundo através das suas palavras. Com a presença da minha primeira obra espero dar início a estes diálogos.
Acrescento os meus agradecimentos a O tempo entre os meus livros por me ter recebido aqui.

Thomas Bogg

Sem comentários:

Enviar um comentário