Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

domingo, 2 de agosto de 2015

Ao domingo com... Miguel Quintas Martins

Sempre agi em conformidade com as “minhas” ambições. Sempre defini os “meus” caminhos, liberto
de arrependimentos futuros...e digo “minhas e meus " não por egocentrismo mas pela alegria com que escrevo...e hoje tenho consciência da “minha” felicidade para libertar o “meu” desejo.

Nunca morri...mas renasci vezes sem conta, repleto de ideias e desejos acerca de tudo o que amo. Sinto que sou com a devida precaução, um gatinhar de aprendizagem, um andar de compreensão e fundamentalmente um correr de encontro á ambição.

Apesar de ter caminhado em inúmeras vidas, continuo a crer imprescindível que a ingenuidade esteja de mão dada com as vivências que preenchem a alma, de outra forma a curiosidade não serviria as minhas metas pessoais. Levantar questões é a intransigência  que me move de forma a desc
ortinar e dar o devido valor ás descobertas do caminho que percorro...
  
Será que o sonho faz parte de uma vida? Ou a vida faz parte de um sonho? É neste antagonismo que habita o meu bem estar, que defino as “minhas” palavras, construindo enredos mediante o estado de espírito que me rodeia.
Considerando que cada ser humano é um retrato do somatório das suas experiencias, acredito que padeço das ideias remanescentes da curta vida em que me encontro agora. E sei que essas mesmas ideias provêm do sonho que ainda agora nasceu.

Será que voltarei a renascer? Não se trata duma dúvida existencial, mas sim da vontade que me consome. Terei de ser determinante e responder de uma forma decisiva e concreta que não quero voltar a renascer. Sempre tive o discernimento de me considerar um privilegiado e ter tido a felicidade como “minha” companheira fiel, da qual nunca me queixei, nunca discuti, nem nunca me abandonou. Por isso acredito que o meu ex libris é este estado de alma nunca antes  desbravado.

Quem sou eu? Sei o que fui, mas também sei o que sou e acredito no que serei. Defino-me  simplesmente sendo alguém. Alguém com a idade que tem, e caminhos percorridos como tantos os que leem as palavras que escrevo.

O “Meu” nome é Miguel Quintas Martins, nascido no dia 20 de Abril de 1976 em Angola, na quinta da Sagrada Família. Portugal é o lar do “meu” corpo e o Universo o lar da “minha” mente...e com os livros que escrevo procuro definir de forma simples o mundo em que vivemos, procuro entender com facilidade ( não das palavras que ainda agora foram lidas mas com as palavras que escrevo os livros que são vividos por mim) as experiencias e desejos de cada um de nós.

“O Suserano”, é um romance, uma história, um enredo englobando suspense e mistério. Repleto de factos históricos em consonância com a ficção que muitas vezes idealizamos acrescem casos amorosos, justiça, guerras, frustrações sociais, percas sentimentais, violência psicológica e ideais assumidos pelos personagens criados para a obra em questão.  

...despeço-me desejando a todos boas leituras e que se divirtam tanto a ler este “meu” livro, como eu me diverti a escrevê-lo.

Bem hajam.

Miguel Quintas Martins...

livrosmiguelquintasmartins@gmail.com

5 comentários:

  1. Um texto excelente. . .não fosse eu a mãe.
    Sem brincadeiras. . .adorei

    ResponderEliminar
  2. Uma pessoa sensível e perspicaz que capta e revela, de forma única, o que as pessoas e o mundo lhe transmitem. Célia P.

    ResponderEliminar
  3. Gostei Miguel, igual a ti próprio, excelente texto, como seria de esperar.
    Beijinhos
    Patricia

    ResponderEliminar
  4. MIGUEL QUINTAS MARTINS .... BELISSIMO " ESCRTOR "
    2 LIVROS IMPERDÍVEIS.... 1º « O SUSERANO ... 2 « O PASSO do REI »

    ResponderEliminar
  5. Uma escrita que captura o leitor do princípio ao fim do livro, numa mescla de suspense, sonho e intriga baseada em factos e sentimentos reais ou imaginários, envoltos numa visão clara e abrangente da realidade e do ser humano, que de forma singular e divertida, nos faz repensar a nossa forma de ser, de ver, e de sentir a vida e o mundo.. Parabéns!
    Uma eterna apoiante deste tipo de escrita.

    ResponderEliminar