Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

segunda-feira, 13 de julho de 2015

"Beijo Fatal" de Jeff Abbott

Ler policiais não é um hábito. Mas embora não o faça frequentemente, gosto de variar nas minhas leituras e, como tal, têm sempre lugar na pilha imenssssaaaa de livros que andam cá por casa e que me fazem ter reações tão diversas e sentimentos tão diferentes.

Não tenho um faro policial muito desenvolvido (lol!) e por isso os escritores enganam-me com facilidade! O assassino passeia-se à minha frente e quase me acena sem que eu o veja! Mas neste livro, a certa altura, isso era evidente: o próprio autor, em paralelo, fez-nos questão de nos mostrar quem era o "monstro". Pensava eu! E quando existe mais do que um? E quando quem não mata também é culpado?

Gostei desta leitura sobretudo porque o mistério tem várias frentes e não é algo linear. Um livro que recomendo. Um autor que nos surpreende sempre!

Terminado em 9 de Julho de 2015

Estrelas: 4*+

Sinopse

Whit Mosley, juiz de paz na cidade de Port Leo, Texas, é um rapaz novo e descontraído, tanto na vida como no cargo. Em ano de reeleição, não parece muito interessado em lutar pelo seu emprego, o último numa longa lista de falhanços profissionais.
No entanto, as águas da pacata cidade costeira não vão demorar muito a agitar-se: uma noite, Whit é convocado para atestar um óbito. O cadáver pertence ao filho de uma senadora, regressado à terra natal depois de uma carreira no mundo da pornografia. Terá sido suicídio, alimentado por uma antiga tragédia familiar? Ou será que um assassino obcecado o usou como peão num jogo deturpado?
Quando Whit desafia a pressão política e começa a investigar, ele e a detetive Claudia Salazar põem as suas carreiras - e as suas vidas - em perigo, expondo um ninho de barões da droga, vigaristas e tubarões sedentos de poder, todos em busca de sangue.
Mas nas areias quentes de Port Leo há segredos ainda mais obscuros enterrados… e ninguém é o que parece ser.

Sem comentários:

Enviar um comentário