Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

segunda-feira, 2 de março de 2015

"Um, Dó, Li, Tá" de M.J.Arlidge

O mote deste livro está lançado no título. Uma escolha a ser feita: matar para viver, para sobreviver a um rapto. Sacrificar para viver. Que mente perversa está por detrás disso? Como se consegue viver com a culpa mesmo tratando-se duma situação extrema? Que níveis de sofrimento aguenta um ser humano?

O início é intenso. Perturbador. Os capítulos pequenos também ajudam a introduzir a acção rapidamente e a querer ler sempre um pouco mais, dificultando o leitor quando necessita de fazer uma pausa e largar o livro.

A investigadora destacada para este caso, Helen, e Mark, um dos seus ajudantes, têm sérias dificuldades em perceber a lógica e o motivo do criminoso. As suas vidas pessoais atribuladas por passados um pouco sombrios e duvidosos interferem nos seus desempenhos profissionais e esse facto dá ao leitor uma perspectiva mais real e verosímil.

Um thriller apaixonante, repleto de cenas cruas, com um elevado grau de descrição que consegue colocar o leitor no centro dos acontecimentos e vivenciá-los. A velocidade com que o autor muda de cenários e de personagens, sem que haja confusão para quem lê, é de tal forma estonteante que somos impelidos a ler sem interrupções, viciados pela leitura fluída e cativante. Intenso e credível!

Terminado em 21 de Fevereiro de 2015

Estrelas: 5*

Sinopse

Uma jovem rapariga surge dos bosques após sobreviver a um rapto aterrador. Cada mórbido pormenor da sua história é verdadeiro, apesar de incrível. Dias mais tarde é descoberta outra vítima que sobreviveu a um rapto semelhante.
As investigações conduzem a um padrão: há alguém a raptar pares de pessoas que depois são encarcerados e confrontados com uma escolha terrível: matar para sobreviver, ou ser morto.
À medida que mais situações vão surgindo, a detetive encarregada deste caso, Helen Grace, percebe que a chave para capturar este monstro imparável está nos sobreviventes. Mas a não ser que descubra rapidamente o assassino, mais inocentes irão morrer…
Um jogo perigoso e mortal num romance de estreia arrebatador e de arrasar os nervos, que lembra filmes como Saw — Enigma Mortal e A Conspiração da Aranha.

Sem comentários:

Enviar um comentário