Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

"Um Estranho Lugar para Morrer" de Derek B. Miller

Existem momentos em que me sinto inquieta e que dificilmente consigo ler um livro com atenção e concentrada na leitura. Tudo me faz interrompê-la, tudo me distrai. E quando assim me sinto e um livro me prende a atenção, então é porque ele possui inúmeros atractivos e é realmente bom. Porque o mais certo é, quando isso não acontece, largar a leitura a fim das primeiras páginas...

Fiquei realmente conquistada pelo personagem principal. Sheldon é um judeu americano de 82 anos, viúvo. Com o peso de algumas mortes em cima das suas costas - o seu filho, a sua mulher e o seu melhor amigo - parte para a Noroega, a pedido de sua neta que lá vive com o marido, e espera-se que viva o resto dos seus dias descansado e em paz. Mas isso está longe de acontecer!!!

Partilhar esta sua aventura, a partir do interior deste personagem que balança entre a lucidez e a loucura, foi realmente um privilégio. Sheldom possui um código de conduta e um sistema cultural muito próprio que o faz pegar em todos os seus conhecimentos adquiridos na guerra da Coreia, onde foi franco-atirador, e agir, procurando salvar a vida de um menino que estava em risco. A ligação que se estabelece entre dois seres de idades tão dispares e que ainda por cima não falam a mesma língua, é surpreendente e cativa de imediato o leitor.

Sheldom nao é um super homem. Cairia no rídiculo se o autor o quisesse fazer assim... Mas, com os conhecimentos aduiridos em tempo de guerra, trava uma batalha que adia, por alguns dias, o confronto que adivinhamos ser inevitável.

O fim é... Não o classifico, de todo. Ainda o estou a processar. Gostei, embora o tivesse querido diferente. Mas, lá no fundo, sabia que teria de ser assim.

Para quem gosta de uma escrita directa, sem subterfúgios, nem grandes descrições de lugares. Alternando entre o passado (a morte do filho na guerra do Vietnam, a morte do seu melhor amigo na Guerra da Coreia) e o presente (a mudança para um país diferente, a interrupção involuntária da gravidez por parte da neta, a tentativa de proteger o filho de uma vizinha do gangue de Kosovares) o autor consegue definitivamente captar a atenção do leitor!

Recomendo este livro!

Terminado a 26 de Dezembro de 2014

Estrelas: 5*

Sinopse

Sheldon, um judeu americano, parece ter chegado ao fim da linha. É viúvo, tem 80 anos, e revela sinais de demência. A filha, preocupada, decide levá-lo para Oslo, onde vive com o marido. Um dia, quando o deixa sozinho no apartamento, Sheldon ouve ruídos na escada. Percebe que é uma vizinha a ser perseguida, a tentar proteger desesperadamente um filho pequeno. A mulher acaba por ser morta selvaticamente. Mas o octogenário consegue, in extremis, esconder a criança dos perseguidores. É o ponto de partida de um romance onde tudo nos surpreende. Aos poucos, juntamos as peças do puzzle. Sheldon é afinal um ex-veterano da Guerra da Coreia, que há décadas vive num secreto inferno, a tentar expiar um crime involuntário. Num último esforço para se redimir, assume como missão salvar o filho da vizinha. Numa terra desconhecida para ambos, começa uma fuga épica, que os levará aos confins da Noruega - e uma perseguição implacável, movida por um gangue kosovar.
Um estranho lugar para morrer, considerado o melhor romance do ano por uma série de publicações, desafia qualquer definição. O ritmo e a tensão absolutamente sufocantes remetem para o thriller moderno, do mais fino recorte escandinavo. Mas o autor, um ativista do desarmamento e dos direitos humanos, usa a dramática epopeia de Sheldon para pôr a nu a violência latente na cultura ocidental.

2 comentários:

  1. Desde que vi este livro senti que tinha de o ler. Agra percebo porquê! Parece muito intenso!

    Beijinhos e boas leituras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isaura, gostei muito! O personagem principal está muito bem retratado! Bom ano e boas leituras para ti!

      Eliminar