Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

"Os Últimos Dias dos Nossos Pais" de Joël Dicker

Deixei-me envolver por esta leitura de um modo suave, conforme ia passando as 430 páginas deste livro. O tema da Segunda Guerra é recorrente nas minhas escolhas mas aqui, neste livro, ela não fere, não magoa. Não há relatos nem descrições que nos causem horror. Nesse aspecto é mais leve do que alguns a que me habituei a ler. Mas, não é por isso menos empolgante!

Paul-Émile, um jovem francês parte para Londres a fim de se juntar à Resistência. É integrado numas forças especiais (Special Operations Executive- SOE) e preparado para posteriormente treinar as forças da Resistência Francesa. Os treinos exigentes, a camaradagem que aí encontra, o amor que surge fazem dele um Homem. Cresce como tal, mas erra também. Porque Humano. E paga muito caro por esse erro...

Gostei muito desta leitura e fiquei desejosa de ler o outro livro do autor que mora cá na estante já há algum tempo, A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert.

Terminado em Dezembro de 2014

Estrelas: 5*

Sinopse

E se os ingleses tivessem sido os verdadeiros artesãos da vitória dos Aliados na Segunda Guerra Mundial? Após a pesada e preocupante derrota do exército britânico em Dunquerque, Churchill tem uma ideia que viria a mudar o curso da história: criar um Executivo de Operações Especiais dentro dos Serviços Secretos. Paul-Émile, um jovem e patriótico parisiense, chega a Londres uns meses mais tarde para integrar o movimento da Resistência e é imediatamente recrutado pelo Executivo de Operações Especiais.
Apesar do patriotismo, ninguém nasce resistente, pelo que aí, junto com outros jovens franceses, irá ser sujeito a uma formação e treinos intensos, de forma a poder voltar a França e assim contribuir para a construção de uma rede de Resistência. Serão estes jovens aprendizes de guerreiros os verdadeiros protagonistas deste romance que nos revela, finalmente, a verdadeira natureza da relação entre o movimento da Resistência e a Inglaterra de Churchill.

5 comentários:

  1. Mais um que terei mesmo de ler não é D.Cris? :)
    Beijinhos e Feliz 2015 recheado de boas leituras!
    Teresa Carvalho

    ResponderEliminar
  2. Olá!

    Este livro já está na minha wishlista há muito tempo!
    Tenho muita curiosidade em ler este livro!

    Boas leituras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este livro foi escrito antes do primeiro a ser publicado cá, A verdade do Caso H. Quebert. Estou curiosa com este. Espero que ainda seja melhor. Bj Isaura!

      Eliminar
    2. Li adorei, amei o livro até a estes 17 anos de vida que mais gostei. Fiquei curioso com este vamos ver. Bj

      Eliminar