Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

domingo, 5 de outubro de 2014

Ao Domingo com... Ana Gil Campos

Hoje, eu e o leitor passamos o Domingo aqui, neste espaço da Cristina, O tempo entre os meus livros. Obrigada por nos receber tão bem, Cristina. Mas como a Internet tem o poder mágico de nos transportar para sítios onde não imaginávamos estar, está aqui comigo, caro leitor, na sala da minha casa em São Paulo. Provavelmente já tinha escutado o barulho constante dos carros e das motos apesar de ser Domingo. Eu já não os ouço. Passa um avião tão perto que arrasta consigo todos os sons da cidade. Já passou. Voltam os sons dos transportes terrestres. Da varanda vemos edifícios e edifícios que parecem construir uma cidade gigante de legos. Aquelas copas verdes e densas pertencem ao Museu da Casa Brasileira. É lá que os pássaros vivem e onde cantam e dançam músicas tropicais. Havemos de lá ir noutro dia. É servido de chá? Sente o aroma doce dos frutos vermelhos? É o meu preferido. Espero que goste também. Não se queime! Acabei de o fazer. 

Como é Domingo vou contar-lhe três segredos… Sente-se no sofá, por favor. O Domingo é o dia perfeito para se contar e escutar segredos. Se contamos segredos é porque queremos que alguém os ouça, mas, para se saber escutar segredos é necessário disponibilidade de tempo. O Domingo é perfeito para isso. Precisamos de tempo para que, ao escutarmos um segredo, este não ganhe mais ou menos importância do que realmente tem.

O primeiro segredo que lhe conto é como me sinto neste momento. Sinto uma ansiedade perfeita da conjugação da saudade que se irá dissipar, porque brevemente regresso ao meu país, com o entusiasmo pelo dia do lançamento da obra A Segunda Pele da Acácia Mimosa, a história da Sara, uma maçona do séc. XXI que descobre o verdadeiro segredo maçónico. Vivo estes dias que confluem apressados para uma ansiedade feliz.

O segundo segredo que lhe conto é algo que ainda não contei a ninguém… Não. Não vou revelar o segredo maçónico. Esse segredo pertence à Sara. O segredo que lhe conto é o motivo que me levou a escrever sobra a maçonaria. É muito simples. Tinha um buraco enorme dentro do mim. Um buraco criado pela curiosidade em saber mais sobre a maçonaria, especialmente sobre a maçonaria feminina. Assim, resolvi preencher este buraco com conhecimento e foi assim que nasceu a Sara.

O terceiro segredo… O terceiro segredo é algo que quero mostrar… Mas que vontade de lhe contar! Não posso. Não me leve a mal mas quero mostrar este segredo no dia do lançamento da obra A Segunda Pele da Acácia Mimosa. Além disso, não é um segredo que se escuta, é um segredo que se toca, que se sente. Não, não se trata do livro, isso seria muito evidente. É outra coisa que quero mostrar no dia 24 de Outubro. Mas que vontade de contar-lhe agora aquilo que vou mostrar! Não posso. Tenho de me controlar.

Até breve. Um bom resto de Domingo e, se puder, abrace e beije quem ama, com o coração aberto. Diga o quanto ama àqueles que ama sem os empecilhos da vergonha, do receio ou da preguiça. O tempo passa em segundos cheios de pressa. Enquanto não sabemos o futuro, o nosso futuro é o nosso presente, e não há nada mais valioso na vida do que poder sentir neste futuro presente o brilho do olhar de quem mais amamos.

Com estima,
Ana Gil Campos

Biografia
Ana Gil Campos, bracarense que divide o seu tempo entre o Porto e São Paulo, escreve o primeiro romance, A Segunda Pele da Acácia Mimosa. Colaborou com a revista Exame de 2011 a 2013 e escreveu para o Expresso de 2009 a 2014. Mestre em Engenharia Biomédica pela Universidade do Porto, afirma que não escolheu ser escritora mas que foi a escrita que lhe exigiu atenção desde muito cedo como uma necessidade irrequieta e vital. Para si viver é entregar-se de forma nua e sequiosa à escrita. Atualmente escreve o seu segundo romance e dedica-se com regularidade ao seu blog (www.anagilcampos.blogspot.com).

Sem comentários:

Enviar um comentário