Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

segunda-feira, 9 de junho de 2014

"Estranho Lugar para Amar" de Luísa Castel-Branco

Que sensação boa senti quando acabei este livro! E é estranho porque ele nos conta um caso verídico não muito feliz e consequência de um ódio muito forte e de desamores muito grandes...

Pegando num facto que realmente aconteceu neste nosso Portugal, em 1957, no concelho de Figueira de Castelo Rodrigo, numa pequena aldeia de nome Colmeal, a autora transforma a história dando-lhe um carácter mágico que me encantou. Os seus habitantes foram expulsos de suas casas e obrigados a abandonar o lugar onde viviam há muitos anos. O lugar é deixado ao abandono e ainda hoje as suas ruínas são prova disso. Que motivo instigou os proprietários a fazê-lo? 

Luísa Castel-Branco transformou esta história numa história de amor onde o ódio ficou lá bem no lugar que merece: lá no fundindo. Ficou relegado e o que sobressai é, sobretudo, o amor entre seres especiais e a vontade férrea em ultrapassar as dificuldades. Saber contar um facto, que envergonha o Homem, de uma forma mágica e com uma imaginação sem limites é o segredo desta obra.

A escrita de Luísa não era estranha para mim, mas o meu livro preferido foi sempre o seu primeiro, Alma e os Mistérios da Vida. Creio que este está ao mesmo nível, a magia das suas palavras soube transformar uma história de contornos terríveis numa outra especial, verdadeiramente especial.

Recomendo! Um mundo encantado tão sabiamente misturado no mundo real, onde os homens não param de nos surpreender com esse lado mau que não abandonam nunca.

Terminado em 8 de Junho de 2014

Estrelas: 5*

Sinopse

Estranho lugar para amar é um romance inspirado numa história verdadeira que nos transporta para um mundo de mistérios e dessa coisa estranha, o amor, carregada de futuro.
No concelho de Figueira de Castelo Rodrigo ficava a aldeia do Colmeal, um povoado com 14 famílias de origens antigas. O fado da aldeia ficou ditado no início da década de 40 com a chegada de uma nova proprietária. As disputas entre a enigmática fidalga e os camponeses desencadeiam o processo de expulsão violenta de todos os habitantes, processo que consta até hoje como uma das páginas mais negras do período da ditadura portuguesa.
Mas esta história é também sobre o Sítio que ficava para lá do monte, para lá do bosque, para lá de todos os caminhos… Entre o mistério da aldeia e os segredos do Sítio, o amor e o ódio determinam o destino de vidas e de lugares.

Sem comentários:

Enviar um comentário