Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

segunda-feira, 7 de abril de 2014

"Nunca te Distraias da Vida" de Manuel Forjaz

Todos certamente já ouvimos falar o Manuel, ou pelo menos muitos de nós. Ninguém fica indiferente às suas palavras. Uns porque o conheceram "antes", outros porque o conheceram "depois". Ao vivo, na TV ou nas redes sociais.

Sentimos (e ele próprio nos conta neste livro) a mudança que se operou na sua vida, nos seus hábitos e formas de pensar. Um relato de uma força impressionante, uma procura incessante de melhores e mais tratamentos contra a doença, de uma luta enorme que nos deixa sem palavras. De qualquer forma elas, as palavras, não são precisas quando estamos perante uma imensa vontade de aproveitar a vida e tudo o que ela tem de melhor.

Quanta dor e quantos sorrisos de bravura estão descritos nestas páginas! Apresenta-nos muitos caminhos e dicas para quem, de um momento para o outro, se vê em situações que nunca imaginou. Porque hoje é ele mas amanhã poderemos ser nós ou alguém muito próximo...

Vejam o video que apresento em baixo.




Este texto foi escrito sábado, dia 5, pela manhã. Domingo, Manuel Forjaz partiu.

Terminado em 31 de Março de 2014

Estrelas: 5*

Sinopse

Nunca te distraias da vida é um livro biográfico, mas não é uma biografia. É um livro que nos fala do cancro e do que é viver todos os dias com a doença, tentando manter a disciplina, a alegria e uma agenda profissional milimetricamente preenchida, como Manuel Forjaz sempre teve. Sem que pretenda ser um manual de comportamento ou, sequer, um livro de auto-ajuda, trata-se de um testemunho e de uma ferramenta muito útil para todas as pessoas que estão a viver um problema semelhante ou que têm um familiar ou um amigo doente. É sobretudo um livro despretensioso, escrito por um homem que luta pela vida desde há vários anos, sem nunca baixar os braços e com uma enorme fé em Deus e na ciência; um homem que tem procurado todas as soluções possíveis para a situação difícil em que se encontra e que integra no seu plano de tratamentos a medicina tradicional e as medicinas alternativas com o mesmo rigor; um homem que vive com a certeza de que, mais tarde ou mais cedo, o cancro poderá matá-lo, mas não conseguirá nunca impedi-lo de viver a vida enquanto existir vida para viver.





5 comentários:

  1. Quero ler! Depois do António Feio agora o Manuel... enfim a vida é assim, crua...
    Teresa Carvalho

    ResponderEliminar
  2. Só ouvi falar deste senhor através da publicidade na televisão que ele fazia do seu livro. E fico triste que uma pessoa que aparentava tanta força e vontade de viver tenha morrido. Mas tal como ele disse, "Eu posso morrer de cancro, mas o cancro nunca me matará" - é mesmo difícil ficar indiferente. Fiquei com imensa vontade de ler o livro...
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ele tinha tb um programa recente na TVI, as quartas. O primeiro de todos é sobre o cancro e sobre a sua luta. Bj

      Eliminar
  3. Tive um irmão que era 3 anos e meio mais velho que eu e também morreu de cancro do pulmão... já há 12 anos. Entre a descoberta num rotineiro check-up e a morte não chegaram a passar 6 meses, durante os quais o mais grave foi a angústia de saber o que tinha, pois que dois médicos muito amigos ambos lhe disseram que aquilo não ia ter grande importância. Seria operado, retiravam a parte do pulmão afectado e ele ainda viveria muitos e bons anos com o outro pulmão e o resto do pulmão afectado. O que nunca imaginaram e acabou por ser também a razão da sua morte foi que o pulmão supostamente bom estava todo fibrosado pelos muitos anos de fumo de tabaco e, depois da operação, supostamente sem complicações, nunca lhe conseguiu assegurar uma correcta e suficiente respiração. É esta a razão do meu post: alertar para os muitos perigos ocultos do tabaco e para a necessidade de se fazer atempadamente os exames necessários, principalmente quando há na família casos dessa doença. E lamentar a perda de mais uma vida, como a do valoroso Manuel Forjaz, desejando muita força a sua mulher e filhos, nestas duras horas em que eles querem cumprir os pedidos do Pai

    ResponderEliminar