Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

terça-feira, 4 de março de 2014

A Convidada Escolhe: A Sentinela

Desde “O Último Cabalista de Lisboa”, livro de que gostei imenso, que sou uma leitora de Richard Zimler e nunca fiquei decepcionada.

Desta vez comecei a ler a “Sentinela” com alguma desconfiança, porque sabia ser muito diferente de todos os outros e porque tinha tido uma opinião desfavorável de alguém muito próximo.

No entanto a minha opinião foi diferente e posso dizer que gostei bastante deste livro.

Pensei que ia ler mais um livro policial, mas para mim foi muito mais que isso e foi esse facto que me agradou tanto.

O centro da história não foi, em minha opinião, colocado no caso de polícia mas sim nos aspectos psicológicos do inspector que investiga o crime e que nos é apresentado como uma pessoa complexa, com um passado aterrador que lhe vai provocar um Transtorno Dissociativo de Identidade criando nele um outro “Eu” que assume o comando em ocasiões críticas, (quando tentava proteger o seu irmão dos abusos do pai ou quando em adulto tenta resolver os crimes que lhe são distribuídos).

Se foi, complicado ler algumas partes pelas cenas de violência psicológica e física a que os personagens principais são sujeitos e os relatos de maus tratos que fazem com que o irmão mais velho se sinta o responsável pela sobrevivência do mais novo, foi também gratificante sentir a união indestrutível dos dois irmãos ao logo da história, união que se vai manter para sempre, uma ligação feita da necessidade de se protegerem do perigo, feita de cumplicidade e de amor fraternal.

…não faço um resumo da história, nunca gostei de resumos, apenas dou a minha opinião deixando que sintam vontade de ler o Livro. 

Marília Leonardo G.


Sem comentários:

Enviar um comentário