Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

"O Rapaz do Caixote de Madeira" de Leon Leyson

Tenho tanto para dizer sobre este livro que estou sem palavras!

Nunca me canso de ler romances sobre a Segunda Guerra e sobre todos os conflitos em geral. Talvez por necessidade de ficar a conhecer mais e mais sobre o que o Homem é capaz de fazer. Espantar-me sobre os horrores que foram cometidos não é dificil mas, sobretudo, sinto uma admiração profunda pela forma como o Homem é capaz de sobreviver e ultrapassar todos essas crueldades que lhe foram infligidas.

Este livro é um exemplo admirável disso mesmo! A sinopse fica muito aquém do seu conteúdo e é assim que tem de ser. Trata-se de uma história verídica, mais uma, que nos conta um pouco das atrocidades que foram cometidas no holocausto mas, neste caso, uma série de acontecimentos felizes, um pouco por sorte também, fizeram com que os elementos (quase todos) de uma família de judeus polacos tivessem sobrevivido.

É-nos contada, em primeira mão, pelo seu elemento mais novo, Leon, hoje já falecido, e trata-se de um testemunho impressionante de coragem, força e determinação. Adorei saber e tomar conhecimento que a sua vida continuou e que, mesmo depois de todas as atrocidades vividas, o autor conseguiu (sabe-se lá como!) procurar a felicidade e aproveitar os momentos bons que a vida lhe ofereceu depois da guerra. E isso passou, principalmente, por saber valorizar o que possuía! 

Uma lição de vida que faz deste livro um dos melhores que já li até agora! Recomendadíssimo!!!

Terminado em 11 de Janeiro de 2014

Estrelas: 6* (definitivamente um dos seis mais gordos que já atribuí!)

Sinopse

Leon Leyson tinha apenas dez anos quando os nazis invadiram a Polónia em 1939 e a sua família foi forçada a viver no gueto de Cracóvia. Neste seu livro de memórias, Leon começa por nos descrever uma infância feliz, na sua aldeia natal e felizmente para a família, o seu caminho cruzar-se-ia com o de Oskar Schindler que os incluiu na célebre lista dos trabalhadores da sua fábrica. Na altura com apenas 13 anos, Leon era tão pequeno que tinha de subir para cima de um caixote de madeira para chegar aos comandos das máquinas. Ao longo desta história, que reproduz com autenticidade o ponto de vista de uma criança, Leon Leyson deixa-nos entrever, no meio do horror que todos os dias enfrentavam, a coragem, a astúcia e o amor que foram necessários para poderem sobreviver.

7 comentários:

  1. Não me vai escapar este livro!! Já estava de olho nele mas depois da tua opinião é vital que eu o leia!
    Teresa Carvalho

    ResponderEliminar
  2. Estou lendo, precisamente por causa da tua opinião!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Paula! Espero que gostes. Este livro fez-me pensar como a sorte pode determinar a nossa vida mas tb como é que através do nosso caracter conseguimos superar tantas coisas que nos sucedem... Bjinhos! Dp diz se gostaste, ok?

      Eliminar
  3. Mais uma vez segui a dica da Cris.....e acabei de ler um livro fantastico

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É, não é, Alex? Um livro que pode e deve ser lido por todas as idades... Bjs

      Eliminar