Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

"Se Pudesse Voltar Atrás" de Marc Levy

Adoro quando um autor tem o poder de me surpreender! Marc Levy fê-lo e fiquei verdadeiramente aborrecida quando o livro terminou...

A capa e sobretudo o título levam-nos a imaginar um livro muito romanceado, cheio de momentos de arrependimento, do género "Ah e tal, se pudesse fazia tudo de forma diferente...". Nada de mais errado!

É bem verdade que parece ser concedida uma segunda oportunidade a um homem, jornalista de profissão, e que ele se sente renascer depois de ter sido subitamente assassinado no meio da rua, mas nem tenho palavras para vos fazer sentir o quando este livro nos leva para caminhos tão diferentes. 


Misturando ficção com aspectos históricos arrepiantes (todos os actos praticados numa Argentina sujeita à ditadura e às suas formas de repressão e tortura), este livro consegue de uma forma extremamente simples e nada rebuscada, mas, todavia, cheia de imaginação, envolver-nos numa trama de aventura e mistério, um misto de policial e romance histórico.

Nota máxima pela imaginação surpreendente, pelos relatos dramáticos que "visualizamos" na perfeição e que poderiam ter sido reais, pela reviravolta final que nos apanha de surpresa, por alguns momentos duma ironia subtil que nos fazem sorrir. Um autor a reter e a... ler!


Terminado em 28 de Setembro de 2013

Estrelas: 6*

Sinopse

Andrew Stilman, jornalista do New York Times, acaba de se casar. Na manhã de 9 de julho de 2012, bem cedo, está a fazer jogging na margem do Hudson quando, de súbito, é violentamente agredido. Uma dor fulgurante atravessa-lhe o corpo e ele sente-se submergir num rio de sangue. Andrew perde os sentidos… e, ao recuperar a consciência, está a 9 de maio de 2012.

Dois meses mais cedo, dois meses antes do seu casamento.

A partir desse momento, Andrew tem 60 dias para descobrir o seu assassino, 60 dias para mudar o curso do seu destino. E, a partir de então, cada minuto conta…

A sua investigação leva-o numa viagem vertiginosa, de Nova Iorque a Buenos Aires, e até aos meandros dos momentos mais obscuros da ditadura argentina. Uma corrida contra o tempo, entre o suspense e a paixão.

5 comentários:

  1. Bolas, sinto-me tentada a ler este livro. É verdade que esses tais actos de tortura e afins me assustam um pouco, mas parece tão original essa busca pelo assassino antes do assassínio acontecer O.O
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Neptuno, vale mesmo a pena! Nota máxima! Bj

      Eliminar
  2. Ainda não li este livro, mas este autor é mesmo assim. Sugiro a leitura de: E se fosse verdade - desatei-me a rir enquanto o lia...e a sua continuação de: voltar a enocntrar-te. Para quem gosta de arte, sugiro: - a próxima vez. Leiam e depois digam alguma coisa! :)

    Boas leituras

    ResponderEliminar
  3. Ainda não li este livro, mas este autor é mesmo assim. Sugiro a leitura de: E se fosse verdade - desatei-me a rir enquanto o lia...e a sua continuação de: voltar a enocntrar-te. Para quem gosta de arte, sugiro: - a próxima vez. Leiam e depois digam alguma coisa! :)

    Boas leituras

    ResponderEliminar