Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

"Em Defesa de Jacob" de William Landay

Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 392
Editor: A Esfera dos Livros
ISBN: 9789896264895

Esta leitura veio em boa hora! Já há algum tempo que não lia algo parecido, com uma boa dose de mistério e suspense. Gostei da forma como o autor intercalou o presente com uns laivos de um futuro que não tomamos consciência logo de início. Quando nos apercebemos disso, o presente passa a passado e o futuro passa a presente... Parece complicado, ah?

Não o é, de facto! Tudo começa com a morte de um adolescente. Assassinado. Um colega, Jacob, é acusado de o ter deliberadamente morto. O livro é o relato feito por seu pai, procurador adjunto, contando o que aconteceu, a sua busca da verdade, acreditando sempre na inocência de seu filho, embora algumas provas evidenciem o contrário. Esse relato, escrito na primeira pessoa, mostra-nos a angústia e o desespero por que passou, como conseguiu aguentar as idas ao tribunal, a condenação dos amigos, conhecidos e desconhecidos. E como o amor de pai consegue apagar pequenos indícios, pequenas dúvidas e defender a sua cria independentemente da razão. Vemos este pai nas suas diferentes facetas: como profissional competente, como marido apaixonado, como filho de alguém que odeia, como pai de alguém que protege a todo o custo. Não podemos ficar indiferentes à sua dor, às suas dúvidas e às suas decisões. Ele é alguém que procura desesperadamente a verdade mas que desespera quando a vislumbra e que, como pai, não a aceita.

Para além disso, apercebemo-nos que ele próprio está a ser interrogado como testemunha de um processo que não sabemos bem qual é... É o "futuro" que vos falei anteriormente e que lentamente é introduzido na narrativa.

Embora nos prenda durante quase todas as páginas, pois vamo-nos apercebendo de pequenos indícios aqui e ali que nos causam ligeiras dúvidas e interrogações, este livro possui um desfecho inesperado, surpreendente! Quando pensamos que estamos quase nas últimas páginas e que o final já nos foi apresentado, eis que somos surpreendidos, terminando em beleza esta leitura! Um thriller psicológico intenso que nos deixa indecisos, sem saber quem queremos apoiar, se a justiça ou o amor cego de um pai por um filho acusado da assassínio.

Recomendo para todos aqueles que gostem de um bom thriller!

Terminado em 18 de Agosto de 2013

Estrelas: 5*

Sinopse

Andy Barber é procurador-geral adjunto num pequeno condado no subúrbio de Massachusetts há mais de vinte anos. Bem-sucedido, é respeitado na sua comunidade como um advogado sério, obstinado e um homem de família feliz, junto da sua mulher Laurie e do filho Jacob. Mas tudo muda quando um crime chocante abala a pequena cidade de Nova Inglaterra. Um jovem de 14 anos é encontrado morto no bosque junto da casa de Barber que naturalmente assume a investigação do caso. Contudo o advogado não estava preparado para o que viria a acontecer: o seu filho Jacob é acusado de ser o assassino. É preciso proteger Jacob que garante ao pai a sua inocência. Andy acredita nele. Tem de acreditar. Mas à medida que o julgamento ganha intensidade, com a descoberta de novos factos e revelações chocantes, que demostram como um pai sabe tão pouco acerca do seu filho, com a ameaça de um casamento prestes a ruir, Andy Barber vai enfrentar o seu próprio julgamento. Inicia então uma luta entre a lealdade e a justiça, entre a verdade e a alegação, entre um passado que tenta enterrar a todo o custo e um futuro que não consegue conceber. Este livro, aclamado pela crítica como o livro do ano, está recheado de mistério e suspense, fala-nos de culpa, traição, de amor incondicional e da forma como a nossa vida pode, num segundo, sair do nosso controlo, para nunca mais voltar a ser igual ao que era…

Sem comentários:

Enviar um comentário