Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

A convidada escolhe... O tigre branco


Já li e adorei. Não podia estar mais de acordo com a opinião da Marília. vejam aqui! (Cris)

A Índia, o país que exerce, não poucas vezes um fascínio sobre os ocidentais pelo seu exotismo as suas crenças, os seus costumes e cultura, todo ele cheiro a especiarias que nos arrebatam os sentidos, todo ele maravilhosamente colorido e musical...pois bem este não é o país que Arvind Adiga nos revela, neste seu primeiro romance.

Vencedor do Man Booker Prize de 2008, este é um livro sem romantismos de qualquer espécie, é um relato, em carta escrita ao longo de sete dias a um alto funcionário da China que se prepara para visitar a Índia para estabelecer acordos comerciais.

Através da sua história de vida, o autor da carta, expõe a Índia real, uma Índia sem misericórdia com a maioria da população, os pobres, os excluídos, os criados, os que vivem segundo o autor, na "Escuridão"; os ricos são os que vivem na "Luz", conquistada a pulso através da corrupção, donos e tudo e de todos, senhores das vidas dos seus semelhantes dispondo deles como de coisas...

A ambição do protagonista que se atreveu a desejar uma vida diferente, passa pelo rompimento dos laços familiares, também eles impossibilitantes da liberdade, e pelo crime, num vacilar constante entre o querer ser honesto e a pratica de pequenos delitos até ao delito "maior".

O Autor revela-nos assim uma Índia desencantada, feia e suja, onde a extorsão é um modo de vida dos que estão mais acima na escala social até chegar aos que vivem na lama. A Impunidade é possível mesmo nos piores crimes.
Recomendo!!

Marília Gonçalves

1 comentário:

  1. E dizem que a India é a maior democracia do mundo!
    :-(
    Almerinda

    ResponderEliminar