Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

A convidada escolhe... O agente da Catalunha



A "Palmeirinha" tem andado um pouco desaparecida, aqui, n'O tempo entre os meus livros, mas sei que as leituras a acompanham sempre. Hoje fala-nos de um livro que já está na minha estante... Falta só esticar a mão e parece que vale a pena! (Cris)

"Gosto de ler romances históricos (e não só…), independentemente da época em que se passam, e a história recente exerce, cada vez mais, um enorme poder de atracção.

Ultimamente, e para reforçar este gosto, têm saído alguns romances bem interessantes sobre o séc XX, e sobre o Portugal dessa época.Mal li que ia sair este livro procurei-o e passou à frente da minha pilha e não me arrependi.

A história transporta-nos através da vida do português Jorge, que será também Jordi – nome que usa em Barcelona.

Assim, e pelos seus passos, percorremos o caminho da resistência ao dealbar do regime franquista em Espanha e chegamos a Portugal, com todas as vicissitudes da raia de Campo Maior/Badajoz e todas as cruas realidades da época descritas, que investiguei serem reais, como os julgamentos e execuções sumários.

E a conivência da GNR com a Guardia Civil e o atravessar de fronteiras em busca de “rebeldes”, e a conivência/repúdio de invasão da soberania pela PVDE, que nestas coisas da História a posição é muitas vezes dúbia…

Mas como acompanhamos a transversalidade dos regimes, pelo menos na sua prática, acompanhamos também a transversalidade da resistência e assistimos a atentados e sobressaltos…

Numa época rica em dualidades o romance não podia ser excepção, nem a vida comum nem a vivência da resistência nessa época.

Ficou-me um “amargo de boca” e alguma tristeza no final, mas admito que “não poderia” haver outro fim sob pena de se perder realismo.

Gostei francamente deste romance, que recomendo. E fico, também eu, numa situação de dualidade… queria mais, mas dada a emoção/força de alguns relatos este romance tem a “dose certa”.

Espero que Cesário Borga não se fique pela estreia!"

Fernanda Palmeira

3 comentários:

  1. Não conhecia este livro... mas fiquei deveras curioso, ao ler "A escolha da Convidada"
    A Editora Planeta tem lançado excelentes títulos dentro deste género e com histórias reais. Gosto particularmente delas.
    Parabéns Cristina, parabéns à convidada.

    ResponderEliminar
  2. Depois de ler o seu comentário fiquei tentado a procurá-lo para o ler nestas tardes de inverno que se avizinham frias... Obrigado! :)

    ResponderEliminar
  3. Obrigada, Nuno, obrigada, jpp :)
    Nuno, mais um do género de que gostas :)

    ResponderEliminar