Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Cada dia é um milagre de Yasmina Khadra


Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 304
Editor: Bizâncio
ISBN: 9789725305065
Coleção: Montanha Mágica

Tenho cá na prateleira por ler dois livros deste escritor e acabo por adiar a leitura por nenhuma razão em particular... Vejo que estou a perder algo de muito bom, pois sua escrita sóbria e real permite-nos visualizar os acontecimentos e os locais descritos com muito realismo. 

Condoí-me realmente com as dores físicas e com o desespero de Kurt, o personagem principal, que nos relata aquilo por que passou ao saber da morte da mulher e quando, para se afastar dessa dor, se vê numa "aventura" bem pior... inimaginável para nós que lemos este livro bem recostados num sofá ou, como é o meu caso, ainda deitada na toalha de praia!

Foi esse realismo que me conquistou nesta obra! Para além disso, todo o processo interior passado por Kurt, as suas transformações no seu modo de pensar e agir, estão primorosamente descritas, parecendo verídica uma história que surgiu da imaginação do autor. Não poderia ter sido escolhido um título melhor, visto que em toda a obra "cada dia é um milagre" mesmo!

Possuidor de aspectos bem violentos, este livro não é um livro agressivo nem brutal. É muito intenso sim e obriga-nos a reformular alguns conceitos que damos por adquiridos e aos quais não queremos "mexer". Recomendo a sua leitura. Em breve vou pegar na obra "O que o dia deve à noite", pois já tenho lido críticas excelentes! 

Terminado em 31 de Agosto de 2012

Estrelas: 5*

Sinopse

Na sequência de um terrível drama familiar, e a fim de superar a sua mágoa, o doutor Kurt Krausmann aceita acompanhar um amigo às Comores. O seu veleiro é atacado por piratas ao largo do litoral somali, e a viagem «terapêutica» do médico transforma-se num pesadelo. Feito refém, espancado, humilhado, Kurt vai descobrir uma África de violência e de miséria insuportáveis onde «os deuses já não têm pele nos dedos de tanto lavarem as mãos». Com o seu amigo Hans e um companheiro de infortúnio francês, descobrirá Kurt a força necessária para superar esta provação? Oferecendo-nos esta viagem surpreendente de realismo que nos transporta, da Somália ao Sudão, para uma África Oriental alternadamente selvagem, irracional, circunspecta, orgulhosa, digna e infinitamente corajosa, Yasmina Khadra confirma mais uma vez o seu imenso talento de narrador. Construído e conduzido com mão de mestre, este romance descreve a lenta e irreversível transformação de um europeu, cujos olhos se vão abrir, pouco a pouco, para a realidade de um mundo até então desconhecido para ele. Um hino à grandeza de um continente entregue aos predadores e aos tiranos genocidas.

Sem comentários:

Enviar um comentário