Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Mães como nós de Inês de Barros Baptista


Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 340
Editor: Clube do Autor
ISBN: 9789897240157


Não sei se consigo explicar como a escrita desta autora, tão simples, tão terra-a-terra, fez com que me identificasse tanto com as personagens deste livro!


Não que os acontecimentos que lhes sucederam tivessem necessariamente a ver com a minha história de vida, mas a forma como são narrados, os sentimentos envolvidos têm tudo a ver com o facto de ser mulher. Mulher e Mãe.


Pequenos acontecimentos, pequenas e grandes frustrações e dores, pequenas e grandes alegrias e descobertas, pequenos e grandes amores e amizades. Mulheres e Mães. Histórias de vidas que, subtilmente, vão sendo entrelaçadas umas nas outras, deixando mensagens fortes, mostrando que a vida nos abre sempre algumas janelas quando as portas se fecham. Mostrando que, passo a citar: "a cada fim há sempre um novo começo".


Surpreendeu-me a escrita, as histórias e a capacidade de com elas nos      
prender a vidas que poderiam ser as nossas ou de alguém próximo de nós.


Gostei muito! 

Terminado em 1 de Agosto de 2012

Estrelas: 5*

Sinopse



Há anos que Dulce Rosa sonha ser mãe. Gostava de ser como Rita e de encher a casa de filhos. Há noites em que Patrícia não dorme, imaginando o regresso do pai do seu filho. À frente do espelho, Verónica esforça-se por disfarçar as marcas da maternidade, ao contrário de Clara, que as torna mais evidentes a cada dia que passa. Sophia trava uma luta entre o prazer e a culpa. Margarida e Rebeca concretizam o desejo de ter uma filha. Fátima vive à mercê de um pequeno déspota.

Estas são as histórias de Mães Como Nós. De mulheres com vidas semelhantes às nossas, com inquietações, mágoas, fragilidades, medos, incoerências, planos, sonhos. Com filhos que a toda a hora chamam por «Mããããããããe!», mas que nem sempre têm disponibilidade para atender aos seus apelos. Com ilusões e desilusões, dias melhores e dias piores, padrões, crenças, memórias. Com a esperança - comum a todos os seres - de amarem e de serem amadas.



1 comentário:

  1. Adorei este livro.
    Já tinha lido (mais que uma vez) "Morrer é só não ser visto”, que adorei. Livros muito diferentes mas com uma palavra em comum “AMOR”.
    Antes de férias passei por uma livraria quando sai do trabalho e ao ver o livro comprei, andava cheia de problemas muito cansada e sem paciência para a leitura.Li-o em 3 dias.
    É um livro super interessante, sempre descobrindo coisas novas, e que me diz muito.
    Obrigada.

    ResponderEliminar