Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

domingo, 1 de julho de 2012

Ao Domingo com... Carlos Oliveira


"Escrever representou desde sempre, para mim, uma manifesta necessidade de comunicar.


Ainda durante a puberdade, por ser um jovem muito tímido, acalentei na escrita a possibilidade de exprimir os meus sentimentos, que vieram depois durante a adolescência a ser partilhados através da participação em concursos literários, sendo agraciado com alguns prémios e a respectiva publicação dos trabalhos. Comecei igualmente nesse período a publicar textos em jornais e poemas em colectâneas de poesia; uma delas publicada na ex-RDA (República Democrática da Alemanha).


O teatro e as viagens surgiram-me posteriormente também, como forma de comunicação e desinibição. Não só a representação, como as viagens que fui fazendo ao longo de Portugal, pela Europa e pelo Brasil, país onde me fixei durante dois anos (desenvolvendo aí alguma actividade cultural num Centro de Imigrantes Portugueses), transmitiram-me um vasto conhecimento da condição humana, preponderante na minha escrita e personalidade.


Depois do meu regresso a Portugal continuei a desenvolver actividade no campo da escrita, agora como jornalista, profissão que exerci durante alguns anos.


Com a minha ida para os Açores, Região onde vivi cerca de 12 anos, trabalhando como professor e oficial de justiça, dediquei-me, sobretudo, aos afectos e à família, apenas regressando à escrita no ano de 2008 com a publicação da obra “É Tão Fácil Morrer”, o meu primeiro livro a solo. Seguiram-se os livros “Redes”, “Sentenças da Vida”, “A Lição do Rinoceronte” e “Os Filhos Não São Maus”.


Muitos anos após as primeiras linhas que escrevi, sei que consegui alcançar o meu objectivo principal: estabelecer um diálogo de ideias e afectos. Razão pela qual me sinto gratificado e agradecido a todos aqueles que vão lendo os meus livros e que me  fazem chegar as suas mensagens críticas e de incentivo.


“Só o Amor pode salvar” é a mensagem essencial nos meus livros e sinto-a cada vez mais prioritária no seio de uma sociedade desumanizada. Para mais informação sobre a minha actividade literária, convido-os a visitar o meu blog: Carlos Santos Oliveira Ondas de Escrita."


Carlos Oliveira

Sem comentários:

Enviar um comentário