Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

quinta-feira, 15 de março de 2012

A convidada escolhe: O caderno de Maya



Às vezes - quase sempre! - tenho tendência a tirar livros debaixo da pilha e colocá-los em primeiro... Seria muito bom se conseguisse rapidamente dar vazão a todos os "primeiros" livros dessa pilha! Mas como sei que não estou sozinha nesta luta, sinto-me mais descansada. Afinal estou acompanhada por muitos de vós... Este é um dos primeiros da lista, dos muitos "primeiros" da lista! A ler! (Cris)



"Este é um livro sobre a história de uma adolescente que nos é contada na primeira pessoa através dos seus escritos num caderno, o seu diário.

Abandonada pela mãe e com um pai ausente, Maya é criada pelos avós que são o centro do seu mundo. A profunda dor, causada pela morte do seu avó vai fazer descarrilar toda a sua vida, levando-a pelo mundo da droga e do crime numa América de todos os vícios.

Tendo de se esconder, é mandada pela avó, chilena, para casa de um amigo numa zona remota do Chile onde a sua vida vai ser reparada, ganhando um novo sentido.

O contraste entre a vida dissoluta de Las Vegas e a simplicidade de uma pequena comunidade mística que se baseia na solidariedade vai confrontar a protagonista com uma nova forma de se relacionar com os outros e também de curar as feridas da alma numa luta em que  a memória do seu avó nunca a abandonou.

O seu anfitrião e novo amigo tem um passado sombrio que o atormenta e na tentativa de o ajudar, Maya vai descobrir a história conturbada do Chile de Pinochet a repressão e terror dos campos de detenção...Maya descobre a história da sua própria família.

Mais uma vez, Isabel Allende confirma a sua mestria ao construir uma história plena de emoção, maravilhosamente escrita que nos cativa e nos prende até à última página.

Adorei!"


Marília Gonçalves

Sem comentários:

Enviar um comentário